A realidade das periferias de Imperatriz

0

A realidade das periferias de Imperatriz, principalmente os bairros mais afastados do Centro da cidade se mantém nas mesmas condições de abandono, a exemplos de gestões passadas.

Muito é propagandeado pela gestão de que Imperatriz vem mudando para melhor, para os empresários e os que mamam nas tetas da prefeitura não tenho dúvida, mas para os trabalhadores que em geral moram nas periferias a situação ainda é a mesma, para uma pequena minoria foi maquiada e serve para serem garotos propaganda para uma gestão que em cinco anos tem mantido os mesmos modos de gestão de outros governos.

Podemos caracterizar esse governo com um governo de fases: primeiro foi a fase de propaganda de iluminação pública patrocinada pela cobrança de iluminação pública na conta de luz que tem uma arrecadação substancial. Segundo foi a fase das placas de obras, se pintasse uma rua lá estava ela informando a pintura com o logo da gestão, se colocasse uma lombada lá estava, imponente, informando a grande obra, se prometesse a construção de algo mesmo antes de confirmar o processo licitatório já estava informando numa placa. Terceiro é a fase dos eventos de parcerias, se um shopping – privado – fosse ser construído o prefeito estava anunciando a obra em parceria, se um lançamento imobiliário a parceria é certa com a gestão, e por ai vai. Estou observando um interessante, quem passa pelas ruas que tem mudado o sentido – para mão única – tem observado que a qualidade da via não mudou, mas… a quantidade de sinalização horizontal e vertical, é tanta placa que pra quem está transitando fica apreensivo: será que vai ter uma placa com indicação diferente à 10 metros ali na frente?

É, mas com tanta propaganda pintando um mar de rosas que não suporta a uma noite de chuva, e para desespero dos moradores das periferias o prefeito mora no centro e não é ano de campanha eleitoral para que ele possa por os pés novamente dentro da água suja das chuvas se solidarizando com a situação e prometendo mudanças, aliás, promessas de mudanças essas que já tem cinco anos que vem sendo renovadas, mas 2016 está logo ali, ai vai ficar para seus ungidos a promessa de cumprir o prometido.

Nas redes sociais “chove”, não água, mas fotos relatando as situações de calamidade e de proliferação de doenças nos bairros, nos casos mais graves, os próximos a pequenos riachos que viraram rede de esgoto a céu aberto, e que cortam inúmeros bairros da cidade. Captamos algumas para ilustrar essa situação nesse post:

 

PERIFERIA DE IMPERATRIZ 2 Periferias de Imperatriz A realidade das periferias de Imperatriz PERIFERIA DE IMPERATRIZ 2
Ruas do Grande Santa Rita
PERIFERIA DE IMPERATRIZ 3 Periferias de Imperatriz A realidade das periferias de Imperatriz PERIFERIA DE IMPERATRIZ 3
Ruas do Grande Santa Rita
PERIFERIA DE IMPERATRIZ 4 Periferias de Imperatriz A realidade das periferias de Imperatriz PERIFERIA DE IMPERATRIZ 4
Ruas do Grande Santa Rita
PERIFERIA DE IMPERATRIZ I Periferias de Imperatriz A realidade das periferias de Imperatriz PERIFERIA DE IMPERATRIZ I
Ruas do Grande Santa Rita

 

Sou apenas um trabalhador assalariado, casado com a companheira Irisnete Geleno, pai de quatro filhas(Ariany, Thamyres, Lailla e Rayara), morador da periferia (Boca da Mata-Imperatriz), militante partidário (PSTU) que assumiu algumas tarefas eleitorais como candidato (2006, 2008, 2010 e 2012) e que luta por uma sociedade COMUNISTA. Sempre fui e continuarei sendo a mesma pessoa de caráter que meus pais, minha escola, meus amigos ajudam a forjar. Um comunista escravo do modo de produção capitalista que não aceita a conciliação de classe defendida por muitos que se dizem de "esquerda", mas que na verdade são pequeno-burgueses que esperam sua chance no capitalismo.

Deixe seu comentário