Sindicato a serviço dos patrões

0

sindicato-patrões sindicato Sindicato a serviço dos patrões sindicato patr  esNão é segredo pra ninguém em Imperatriz que a direção do sindicato dos trabalhadores nas empresas de transporte coletivo está a serviço do patronato e cumprindo a tarefa de garantir o lucro de seus patrões, para isso usará de uma arma (greve) da categoria com anuência das próprias empresas para conseguir seu intento.

Já tive oportunidade de conversar com vários trabalhadores vinculados a essa categoria e todos são unânimes em afirmar que o sindicato faz o que os patrões mandam, inclusive na tarefa de lesar os trabalhadores quando ocorrem rescisões contratuais onde os trabalhadores não recebem o que lhes é de direito.

Amanhã, dia 04 de junho, está programada uma “greve” da categoria cuja reivindicação é um aumento salarial, dentre outros direitos (tíquete alimentação, vale farmácia etc.), mas que na verdade a paralisação da frota do serviço de transporte público de Imperatriz, que é precário e caro, tem o objetivo de pressionar os vereadores e o prefeito em aprovar um reajuste nas tarifas, passando da mais “barata” de R$2,30 para R$2,70. O oficio requerendo esse aumento já se encontra na câmara, mas por ser um ano eleitoral os vereadores o mantém engavetado.

O lamentável de tudo isso é ver um sindicato que deveria preservar pela independência de classe para poder reivindicar melhores salários e condições de trabalhos se preste a essa tarefa de mobilizar a categoria para exclusivamente conseguir que o poder público dê o aumento nas tarifas para garantir o lucro dos patrões, pois não é certeza de que conseguindo esse aumento nas tarifas seja repassado para atender o suposto aumento salarial de 16% reivindicado pelo representante do sindicato.

Assista ao vídeo da entrevista concedida ao repórter Paulo Negrão e veja que o sindicalista inseguro em suas argumentações e posteriormente o patrão deixando a entender que o percentual de reajuste seria justo, haja visto, que os funcionários há mais de dois anos não conseguem reajuste salarial e os motivos seriam a falta de reajustes nas tarifas e o aumento dos custos de manutenção. Mas uma pergunta não quer calar: por que eles não quebraram ou não abre a planilha de custos? Simples, esses gestos mostrariam o nível de lucro e a ânsia em aumentar ainda mais, e dessa vez com a anuência dos trabalhadores graças ao atrelamento do sindicato aos patrões.

 Vídeo Canal do Youtube de Paulo Negrão

Sou apenas um trabalhador assalariado, casado com a companheira Irisnete Geleno, pai de quatro filhas(Ariany, Thamyres, Lailla e Rayara), morador da periferia (Boca da Mata-Imperatriz), militante partidário (PSTU) que assumiu algumas tarefas eleitorais como candidato (2006, 2008, 2010 e 2012) e que luta por uma sociedade COMUNISTA. Sempre fui e continuarei sendo a mesma pessoa de caráter que meus pais, minha escola, meus amigos ajudam a forjar. Um comunista escravo do modo de produção capitalista que não aceita a conciliação de classe defendida por muitos que se dizem de "esquerda", mas que na verdade são pequeno-burgueses que esperam sua chance no capitalismo.

Deixe seu comentário