Campi de Imperatriz inicia mobilizações da greve nacional

0

Começa hoje (16/06) as atividades de greve nos campi de Imperatriz. Com uma assembleia geral que deve reunir professores de todos os cursos, servidores administrativos e alunos para discutir a agenda de debates, formação e cultural durante todo o período de greve, além de montar comissões para garantir a ocupação da universidade com uma vasta programação de atividades (minicursos, palestras, aulas públicas, participação de movimentos populares e sociais).

A comissão pela Defesa da Universidade Pública que vinha se reunindo para debater as Medidas Provisórias 664 e 665 e Projeto de Lei 4330 está também voltada a ajudar a construir um espaço de greve que sirva para formação da categoria dos professores e o debate que afeta diretamente o futuro dos docentes no ensino superior que são as políticas governamentais que levam à privatização do ensino. Professor Mário Riquelme do curso de Licenciatura em Ciências Humanas é enfático em afirmar “o processo que vejo aqui no Brasil é o mesmo que levou a privatização das universidades federais no meu país, o Chile”.

Para dialogar com a comunidade Imperatrizense, o Professor Salvador Tavares concedeu entrevista hoje pela manhã ao radialista Arimateia Jr. (áudio com a entrevista abaixo) e reforçou a importância que a UFMA como universidade pública têm com a sociedade e com os filhos e os trabalhadores que estão se preparando para contribuir com sua força de trabalho qualificado para a produção de riqueza de nossa região e do nosso país, além de dizer que Greve não é momento de cruzar os braços, mais sim de fazer com que a UFMA seja um espaço de formação crítica, e esse momento de greve são ímpares para isso.

Assista ao vídeo e áudio onde o professor Salvador Tavares faz alguns esclarecimentos sobre a mobilização dos professores, técnicos administrativos e alunos.

Sou apenas um trabalhador assalariado, casado com a companheira Irisnete Geleno, pai de quatro filhas(Ariany, Thamyres, Lailla e Rayara), morador da periferia (Boca da Mata-Imperatriz), militante partidário (PSTU) que assumiu algumas tarefas eleitorais como candidato (2006, 2008, 2010 e 2012) e que luta por uma sociedade COMUNISTA. Sempre fui e continuarei sendo a mesma pessoa de caráter que meus pais, minha escola, meus amigos ajudam a forjar. Um comunista escravo do modo de produção capitalista que não aceita a conciliação de classe defendida por muitos que se dizem de "esquerda", mas que na verdade são pequeno-burgueses que esperam sua chance no capitalismo.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: