A comunicação e a critica marxista

0

Imprensa-comunicação comunicação e midia A comunicação e a critica marxista Imprensa ManipulacaoAo assistir o vídeo de um curso de pós-graduação produzido pela coordenação do curso de comunicação social da Universidade Federal do Pernambuco, ministrado pelo professor José Paulo Netto – COMUNISTA – que versa sobre o método de pesquisa de Marx, “Método em Marx” vi muio da manipulação que a mídia em geral e como a comunicação e a crítica marxista pode nós abrir outros horizontes para enter nossa realidade. 

O curso se resume na demonstração do processo de pesquisa que Marx desenvolveu para escrever o livro “O CAPITAL” e todos os outros textos que o antecederam. Embasava-se na escolha do “objeto” e na análise de todas as variantes que formou o “objeto” observado, chegando à conclusão de que após esse estudo o objeto era visto de uma maneira totalmente diferente da primeira. E, se o ciclo se repetisse, dependendo do contexto apresentado, o objeto teria outra perspectiva.

Resolvi dentro de minhas limitações acadêmicas, a observar um “objeto” e fazer uma análise semelhante. Acabei me surpreendendo com o resultado, isso sem muita pesquisa. Imaginem o potencial que tem o intelecto dos homens, claro os que usam 5% de sua cabeça animal.

Então vejamos, dependemos dos veículos de comunicação (TV, rádios, Blogs, jornais etc.) para a divulgação de informações sobre nossa realidade – Imperatriz, região e Maranhão, Brasil, etc. – a grande parte das informações desses veículos seria uma réplica reproduzida inicialmente em um e aproveitada por outros, vice-versa, então chegamos a alguns questionamentos:

a) A quem verdadeiramente serve a informação apresentada?

b) Pra que manter outro canal de comunicação se em todos os outros encontrarei a mesma informação?

c) Por que não posso ter opinião própria?

Pesquisei na internet todos os sites (portais, blogs, jornais online etc.) que contivessem informações (noticias) sobre nosso Estado. Para minha decepção constatei que grande parte das notícias em evidência estava sendo replicada em outros “endereços”, nem si quer uma breve análise dos mantenedores dessas fontes de comunicação havia feito, um verdadeiro “CTRL + C” [copiar]e “CTRL + V” [colar]. As colas na era digital, pior muitos desses portais têm mantém profissionais na área de comunicação qualquer um que reivindique como tal.

Outro fator estarrecedor é o fato das replicações, em sua grande maioria, são de notícias – que podem até nos interessar – mas não reflete a necessidade de nossa região em fazer circular as informações para conhecermos mais nosso povo a cada dia.

Tudo isso demonstra a progressiva desqualificação dos meios de produção de pesquisa e de conhecimento de nosso Estado – mais não tenho a esperança de que isso não se repita em outros Estados – através da educação voltada para o atendimento aos interesses do mercado profissional e de uma falta de incentivo à produção de novos conhecimentos.

Quem conseguir romper essa barreira, produzindo informações para um mercado carente do alto conhecimento se sobressairá aos veículos conservadores que não pensam na informação como um meio do crescimento de uma comunidade, e sim, em uma informação mercantil que atenda a necessidade a quem interessa produzir.

Sou apenas um trabalhador assalariado, casado com a companheira Irisnete Geleno, pai de quatro filhas(Ariany, Thamyres, Lailla e Rayara), morador da periferia (Boca da Mata-Imperatriz), militante partidário (PSTU) que assumiu algumas tarefas eleitorais como candidato (2006, 2008, 2010 e 2012) e que luta por uma sociedade COMUNISTA. Sempre fui e continuarei sendo a mesma pessoa de caráter que meus pais, minha escola, meus amigos ajudam a forjar. Um comunista escravo do modo de produção capitalista que não aceita a conciliação de classe defendida por muitos que se dizem de "esquerda", mas que na verdade são pequeno-burgueses que esperam sua chance no capitalismo.

Deixe seu comentário